quinta-feira, 3 de outubro de 2013

muitos e-mails e contatos e senhas e likes
distorcem quem a gente realmente é

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Obturador



depois daquele beijo
blow up flashs em nosso rosto
eu flutuando na grama
seu corpo dentro da mente etérea
quantos outros clicks precisarei fazer
para alcançar de novo sua boca?



segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Login e senha

 viver eu não preciso, só navegar (desconcertando Pessoa)


me seguir é preciso
te seguir não é preciso
só quem passou por uma fase desconectada
sabe
que o que quero agora é me expor
por isso me siga
vou te mostrar que eu sorrio quase sempre
principalmente para postar
me curtir é preciso
te curtir não é preciso
só quem passou pelo anonimato, sabe
que além dessa tela
desse teclado
e dessa foto combinada,
não existe mais nada.



segunda-feira, 1 de outubro de 2012






há correntezas pra segurar
e corações pra emergir
o tempo vem
pra adiar 
e vem
a pé

Outubro


Ser criança é alegrar 
coração 
tarefa difícil 
para quem perdeu
o seu dentro da loja de brinquedos 

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

do coração

Para Aline do (coração) motorizado

Marcos Eduardo Batista ( atuando na peça Ausculta: musculaturas afetivas)

Sangrando em terra
Sob alcance de mim-você
Carne que é carne
alimenta.
O resto...
fantasia.

tato


falas táteis

processos táteis

esse permanecer por segundos

essas escolhas que não nos compõe

não nos gera

nem nos forma

eu queria ser alguém que só vê
e não absorve

absorver dói.
abster-se
é menos

mas eu não sei como.

quarta-feira, 18 de julho de 2012

Película nossa


nessa casa
contato é pouco
em vista do que temos
diante dos nossos olhos e
que precedem a vista da janela


e não sabemos que plano usar
quando o assunto transpassa nosso peito
detalhe para as razões ou para
os pássaros que cantam em cima das nossas violetas?
ou plongée para quando estivermos dormindo
e acordando com o som do encanamento estourando?

a vida aturde
nosso filme é alarde
pega a claquete
coloca teu nome na direção de arte
e o meu no roteiro
deixa que eu te abrace
nessa casa
contato é mais.

terça-feira, 19 de junho de 2012



essa chuva
nos afasta tanto
que até pensei:
na próxima vida
quero ser seu telhado com defeito,
escorregar macio
e penetrar sua sala.

segunda-feira, 7 de maio de 2012

segunda-feira, 30 de abril de 2012

Sobre a Saudade (para uma criança)

e para os grandes.




A Saudade era uma menina que não cansava de olhar para as pessoas e amá-las.Sempre as perdia de vista, ou por conta da vida que insistia em afastá-las ou por vontade dos outros em fechar a porta e perder as chaves. E por ser uma pessoa muito fechada, a Saudade foi guardando todas as dores, todas as faltas, todas as pessoas, todo o amor que podia dar se isso fosse permitido. Num dia de pouco sol, todos da pequena cidade onde Saudade vivia ficaram sabendo da triste notícia. A Saudade, de tanto guardar  tanto e tudo para si, explodiu. Dizem que cada pedacinho dela foi parar em algum canto do mundo.

domingo, 29 de abril de 2012

des-encontro



"You know my bip-bopping days are over
I hung my boots up and then retired from the disco floor."





quando uma alma que já
fez parte da sua
resolve entrar em outro plano de vida
a tristeza pousa sobre os ombros
"risca da lista
essa já não pode mais ser."

segunda-feira, 23 de abril de 2012

Miscelânia

Por Ana Raquel e Marisa no céu com diamantes


Cartier Bresson


uma pessoa em cada cômodo


uma pessoa em cada cor


uma pessoa em cada afago


uma pessoa em cada estado


uma pessoa em cada retina


uma prosa em cafeína


para recompor nossos espasmos


compor novos orgasmos


que reflitam o todo da vida


num cada pessoa


sempre da pessoa



sexta-feira, 30 de março de 2012

Entre nós

e quanto às entrelinhas,
pegue as suas
e amarre-as
às minhas.