quinta-feira, 11 de junho de 2009

Marmita*

letras desertas no papel de pão.
.
.
.

desertos sem letras por falta de pão.

(...)

17 comentários:

Mauri A. Oliveira disse...

(....)
seus dois versos tiveram mais significado do que um livro inteiro...
como sempre, magnifico. Abraços!!!

Dani Santos disse...

Imensas palavras a preencher tantos vazios... a mostrar mundos que se fazem àsperos. A rabiscar as horas tingidas de cores injustas.

escreves grande.

Luz pra ti.

aline Michetti disse...

Silêncio , a poeta jovem está provocando o mundo com suas reflexões !
Parabéns.

amo vc Ana........

Eduardo Trindade disse...

Hoje tocaste fundo com poucas palavras, guria...
Não direi nada que tuas letras (e reticências) já não tenham dito; apenas tiro o chapéu, literalmente.
Abraços...

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Jefferson Araújo. disse...

sinto fome disso...
letras,
palavras,
sentimentos...

paulo disse...

... e há tanto por cá, mundo belo!

imensamente agradecido pela indicação, obrigado!!


bejos meus

^^

Dani Santos disse...

... a sentir falta das palavras tuas... para preencher os silêncios que se fazem grande.

Abraços e dias de luz pra ti.

David Monsores disse...

Olá!!
"O soldado da paz não pode ser derrotado, ainda que a guerra pareça perdida."
Desembanhemos nossos lápis de cores de poesias e façamos o mundo mais colorido e mais bonito. O preto e branco dará o desabafo das tristezas dos corações partidos. E não mais teremos que escrever sobre a vida em risco ou a vida riscada.
BeijO grande menina!

Sarah Toledo disse...

a esperar novas letras. mesmo que em papel de pão. talvez justamente por elas.

beiju.

Eduardo Trindade disse...

Saudade de tuas palavras, minha querida amiga!
Espero que esteja tudo bem por aí.
Abraços!

Uerlle Costa disse...

Olá.

Gostei do blog.
Sempre estarei por aqui.

Beijo.

Ramon de Alencar disse...

...
-Tu sabes o segredo da farinha e da massa...

Uerlle Costa disse...

Linda mudei o dominio do THE BEST.
Agora é uerllecosta.blogspot.com
Beijão.

Felipe disse...

Sua sensibilidade me encanta sempre. Parece q descubro uma nova Ana à cada leitura!!
Beijos!

Karla Thayse disse...

Lindo tudo aqui...

Saio com a alma mais leve, quase flutuando.

Um beijo!

Dani Santos disse...

Mais saudades...
Por onde andará a menina de sonhos e ventos nos cabelos? que gurda segredos tão baixinhos como transformar lágrimas em pão?

Abraços pra ti, Ana, e que os dias por aí se façam serenos... como um florir.