terça-feira, 20 de julho de 2010

À Lou

Adorei a poesia doce
descrita por sua forma branca
contra o sol
compreendi totalmente
todos os paradoxos incompreensíveis
que te explicam
agora sei exatamente quem é você
e não sei mais quem sou eu. 


Por Fábio Ilczuk,o libertador de palavras.




(Mergulhei na homenagem.Quem dera ser Lou Salomé,ou mesmo poeta como tu és)

Um comentário:

Ilczuk disse...

Obrigado pela homenagem, mas você merece cada palavra do poema e muitas mais. se você se visse pelos meus olhos notaria o quanto é bela como poeta, como mulher, como ser humano...não tenho mais as palavras, por ora sou só sentimento, que eu sinta então...sintamos!