domingo, 19 de setembro de 2010

É seu

tem vida que vai calando a boca
tem boca que vai vivendo de vida
tem corpo que vai pedindo boca
e boca pedindo silêncio
e vida pedindo notas
e notas pedindo pausas
e bocas calando os olhos
e os olhos enegrecendo a vida
e a vida perdendo os dentes
e a boca perdendo o sentido
e o paladar das duas
vai perdendo o açúcar,
vai perdendo o tempero,
vai ficando amargo,azedo
- vencimento precoce -
porque  quem vive não sabe,
quem fala não lembra,
que ambas,
ambas...
têm céu.

9 comentários:

Everton do N. Siqueira disse...

Brincando com as palavras hein? rs

Muito bom

Gaby Soncini disse...

Ana Raquel, gostei destas suas palavras, "Têm céu".

Voltarei.

Grande Beijo.

' Jeffão Araújo disse...

lindo e suave.
belo e sonoro.

adoro ouvir a canção que estranhamente invande meus ouvidos quando passo por aqui.

Caio Rudá de Oliveira disse...

Que coisa gostosa. Derrete no céu da boca...

Michele P. disse...

Teu poema faz viajar!

Luciana Donadeli disse...

Quanta beleza em tua poesia! Envolvente.

Obrigada pela visita e me desculpe a demora em responder!

Dani Santos disse...

Ana!!! Que bom vir aqui, me envolver nessas palavras com cor de céu e de lua. A leveza desse mar e o fundo dessas águas, sempre.

Abraços imensos, pra ti, ò menina...

Rodrigo Tomé disse...

Quem sonzinho bom, fez me lembrar o trecho dessa música:

"Todos os dias é um vai-e-vem
A vida se repete na estação
Tem gente que chega pra ficar
Tem gente que vai pra nunca mais
Tem gente que vem e quer voltar
Tem gente que vai e quer ficar
Tem gente que veio só olhar
Tem gente a sorrir e a chorar"

Nícolas M. F. disse...

Gostei Ana; o pensamento deve ser rápido para acompanhara o tempo e perceber tudo!

Até mais guria!...