domingo, 26 de dezembro de 2010

Dos dias de tempestades

Para a Andressa, menina-alegria.



era preciso prever o tempo
para poder partir.
mas descobrira por si só
que viriam águas do céu.
escondia nas asas, o medo.
as gotas reinaram.
mas a vida pedia voo,alto,longe,
depressa.
arriscou como se fosse a
chance última.
respirou e foi ao encontro das águas.
suportou-as como se fossem suor.
e percebeu, contando num canto,
que nem sempre as tempestades
têm poder para impedir voos.


Foto: Flagra às pressas de um pássaro debaixo da chuva, feito por Andressa Sima.

4 comentários:

Dressa Sima disse...

ooooonnttt *-------------*
lindo ,lindo tudo
paarabéens menina Ana Raquel
mais fãa ainda ! :DD

Sarah disse...

"Nem sempre as tempestades têm poder para impedir voos."

Vou acreditar nisso.


Obrigada pela chance de ler suas palavras.


Beijo.

Eduardo Trindade disse...

"...nem sempre as tempestades/ têm poder para impedir voos."
Às vezes são justamente elas que instigam, provocam o voo...
Abraços e feliz 2011!

' Jeffão Araújo disse...

se eu tivesse que escolher um último texto para ler esse ano, seria o seu!

Lindo, uma descrição perfeita do que estou sentido e do que preciso fazer.

Obg por seus textos!

p.s.: posso colocá-lo em meu blog??