quarta-feira, 1 de junho de 2011

Conforto:



A gente sempre tem uma mão pra contar nos dedos certas pessoas, e a outra pra tentar segurá-las...

2 comentários:

Eduardo Trindade disse...

Mesmo assim, há vezes (às vezes) em que nossas mãos parecem não caber em si, nem sempre sabemos o que fazer com elas...
Saudades também, guria!

Poeta da Colina disse...

Acho que encontro é liberdade.

Amigo não é o que está, é o que existe.