quarta-feira, 8 de junho de 2011

Das metades, só entendia quando cortava laranjas ou quando tinha que se dividir em dois, para caber em um.
De resto, impossível conviver com as metades.Nem caras, nem pedaços de sabão, nem carnaval, nem samba, nem o nada.
As coisas tinham de ser por inteiras já que sempre ouvira falar em "a vida inteira eu senti isso" ou " o dia inteiro pensei que fosse assim". Se fosse pra viver,criar, ouvir ou qualquer coisa que o valha, que fosse por inteiro.Na íntegra.Por completo.
Porque talvez as metades escondam verdades e junto delas os desejos,os olhares, as sensações,os seres e a vida.E porque metade nunca poderá remeter à suas vontades.



Quebra o pandeiro - Pequeno Céu by anaemraquel

Som do Pequeno Céu.

3 comentários:

Eduardo Trindade disse...

Bonito!... Quem nunca quis "tudo ao mesmo tempo agora", quem nunca pensou em abraçar o mundo?
Se bem que às vezes os grandes inteiros são feitos de pequenos pedaços, não?

° Marrí disse...

Belíssimo! Estou encantada.

Vou compartilhar...rs

Poeta da Colina disse...

O inteiro é o que verifica o existir.