quinta-feira, 15 de março de 2012

Desvio

"e na rua o ipê roxo me lembra que o grande e nunca banal ciclo da vida veja só meu amigo
continua" [Angélica Freitas]


todo este ciclo
que gira em torno de nós
psicodelia mal feita
disco riscado sobre a cadeira
você de um lado da sala
e eu no quintal descascando margaridas
esse ciclo todo me desnuda
você sai pela porta cinza
e eu no quintal
a engolir margaridas.



Eleven A.M - Edward Hopper

4 comentários:

rodrigo tomé disse...

Que bom que você voltou. Sua experiência com a prosa revitalizou sua poesia. Está mais fluída do que nunca.

Parabéns, passarinha!

' Jeffão Araújo disse...

Esse ciclo que nos vicia em rotina e nos mata de formas variadas!

Lindo. Como sempre

Poeta da Colina disse...

Círculo tem ponta.

Sarah disse...

Você falou sobre as pessoas "virtuais" que fizeram e fazem parte da sua vida. Na mesma semana em que pensei escrever uma carta para você. Me falta conseguir parar e escrever algo que preste. De qualquer modo, voltei aqui e como sempre fiz lindas viagens por suas palavras.

Um abraço.